Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Desafio Celestial - Inês Maia

SINOPSE: Quando lhe é confiada uma importante missão na terra, o anjo Gabriel vê-se no corpo de um atraente jovem de quinze anos que tem pela frente a árdua tarefa de trazer de volta ao bom caminho Lisa Albuquerque, uma jovem rica da alta sociedade portuense, que está prestes a cair nas mãos do Senhor das Trevas. Conseguirá Gabriel salvar a alma de Lisa? E, se o conseguir, será capaz de se afastar dela, agora que está perdidamente apaixonado? Um romance divertido e misterioso, onde o mundo dos anjos e o das novas tecnologias se harmonizam na perfeição para criar uma atmosfera de grande originalidade.

OPINIÃO: Uma vez que este livro consta na coleção infantil da presença, devo dizer que o ofereceria a qualquer criança que goste de ler.
"Desafio Celestial" conta a história de um anjo que, testado por Deus, é enviado à terra para orientar um "caso vermelho". Se virmos através de uma perspetiva adulta diríamos que Lisa é apenas uma adolescente complicada e não faz nada que a remeta ao inferno, mas, uma vez que é literatura juvenil, a moralidade patente na ação do bem inspiraria muitas crianças a pensar duas vezes a praticar bullying.
Gabriel sofre uma mudança de personalidade durante a sua estadia na terra. Ele aprende o que é o amor e conhece as maravilhas e as dificuldades em se ser humano.
A história corre em volta das tentativas de Gabriel em livrar Lisa da má influência de Amanda, o demónio. Esta personagem é bastante engraçada e veem-se algumas situações características dos vilões infantis, como por exemplo o riso maléfico.
A escrita de Inês é muito simples e de fácil leitura porém, os diálogos são um pouco forçados e repetitivos.
Gostei da história e recomendo a oferecerem ao vosso público juvenil para os iniciarem na literatura fantástica.

Compra aqui!

2 comentários:

  1. Também gostei muito do livro apesar das minhas duas filhas de 11 e 10 anos não tenham gostado lá muito. Disseram-me que este livro era para crianças mas o que eu acho é que é mais para adolescentes.

    ResponderEliminar

Arquivo do blogue