Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 28 de março de 2012

Wicked lovely: Tatuagem - Melissa Marr



SINOPSE: Leslie, de dezassete anos, não sabe nada sobre fadas nem 

sobre as suas lutas obscuras pelo poder. Quando se sente 
atraída por uma tatuagem estranhamente bela, só sabe que tem de a ter, convencendo-se de ter encontrado um símbolo tangível das mudanças de que precisa desesperadamente na sua vida. A tatuagem traz mesmo mudanças - não do tipo que Leslie sonhou, mas mudanças sinistras e irresistíveis, que ligam Leslie a Irial, um rei das fadas tenebroso e temível que luta pela alma da sua corte. Aos poucos, Leslie é arrastada cada vez mais para dentro do mundo feérico, incapaz de resistir ao seu fascínio e de compreender os seus perigos... Melissa Marr dá seguimento aos seus contos de Fadas numa história sombria e arrebatadora de tentação e consequências, e de heroísmo quando menos se espera


OPINIÃO: Melissa Marr apresenta-nos nesta coleção o mundo das fadas em comunhão com o nosso. No primeiro volume conhecemos a corte de verão e de inverno. 
As fadas de Marr respeitam as lendas antigas em que as fadas não são criaturas dóceis e altruístas. As fadas estão ligadas à natureza e agem sobretudo por instinto e pela sua vontade. São criaturas egoístas que visam satisfazer os seus prazeres mais mundanos, que para os humanos podem se revelar fatais.
 A corte de verão é agora liderada por Keenan. Já no primeiro livro vemos como Keenan, rei da corte mais simpática, consegue ser cruel e desinteressado pelo bem estar humano. Em contrapartida, neste volume conhecemos o rei da corte das trevas, Irial, cuja natureza ultrapassa toda a imoralidade. Os seus atos mais naturais são inóspitos aos mortais e a sua fome é dominante. Irial não exerce o seu poder sobre os demais por puro capricho, mas sim porque é a sua natureza e não sabe viver de outra forma. Como soberano, o seu única dever é manter a sua corte feliz e alimentada. Os meios que exerce para tal, são irrelevantes.
No que toca ao mundo dos humanos, Aislinn é transformada na rainha da corte de verão no primeiro livro. Ela tem um trato com Keenan para reinar e continuar a viver a sua vida com as amigas e com Seth, o namorado. Este acordo acaba por destacar os humanos que rodeiam Aislinn e pô-los na mira dos interesses das fadas.
Leslie, amiga de Aislinn e protagonista deste volume, é uma jovem atormentada por memórias de uma noite em que foi estuprada por um grupo de traficantes. A ter de viver com o irmão que a ofereceu a estes homens e com um pai ausente, Leslie procura desesperadamente uma forma de se evadir. É aí que ela pensa em fazer uma tatuagem.
Neste ponto, devo dizer, que não entendo como é que uma tatuagem a fará sentir-se melhor, ou até mudar alguma coisa. Leslie afirma que precisa de algo que a complete, que lhe pertença.
No entanto, Irial precisa de se ligar a uma humana para conseguir alimentar-se das emoções humanas. Para tal, o seu desenho tem de ser escolhido para ser tatuado. Leslie escolhe o símbolo de Irial e é aí que a sua vida começa a mudar. As fadas começam a fazer parte de uma realidade que não é imediatamente explicada e não é de todo desejada.
A autora fez um ótimo trabalho no que toca à procura de termos que expliquem o processo pelo qual uma tatuagem  atravessa. Nota-se que houve uma investigação para dar credibilidade ao ofício.
As suas personagens são interessantes, apesar de se notar alguma similitude entre as protagonistas. Os valores são praticamente os mesmos, apenas diferem na história de vida, sendo a de Leslie mais complicada.
Para além destas fadas reais, conhecemos Niall e a sua natureza sexualmente viciante para os mortais. Niall é um ponto importante na história. Ao contrário dos soberanos que aceitam quem são e agem conforme as suas capacidades, Niall critica-os por estarem inclinados a fazerem Leslie sofrer. No entanto, é Niall que esquecendo o efeito, sedento e desesperado pelo seu toque, que deixa nos humanos em sofrimento, aproxima-se de Leslie porque a quer. Niall é hipócrita inconscientemente, pois enquanto atira blasfémias a Irial por perseguir a humana sabendo que a corte das trevas irá certamente matá-la, acaba ele mesmo por introduzi-la no mundo anestesiante da luxuria que caracteriza as fadas. Niall é uma personagem atormentada que luta contra uma crise existencial.
O amor é algo absolutamente complexo nestes livros. É uma mistura de possessão, luxuria, paixão e desejo. 
No que toca à escrita da autora, Melissa Marr escreve com segurança e fluidez. há sempre um ponto de imprevisibilidade nos livros que deixam o leitor agarrado até ao final. Há também uma procura de recuperar as personagens e situações anteriores para criar um laço, apesar de serem histórias quase independentes. Contudo, esta parece ter-se fechado, mas espero pelos próximos volumes para me certificar.
É dada imensa importância ao que as personagens sentem, mais do que o que elas fazem. 
O enredo está carregado de emoções que roçam muitas vezes o lado animalesco que há em cada um de nós. Assim são as fadas.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo do blogue