Pesquisar neste blogue

terça-feira, 1 de março de 2011

Sangue Furtivo - Charlaine Harris

SINOPSE: Sookie Stackhouse, uma empregada de bar na pequena vila Bon Temps, não é alheia a experiências sobrenaturais. Mas agora estranhos acontecimentos estão a mexer com a sua família e nunca antes o sobrenatural esteve tão próximo. Quando Sookie repara que os olhos do seu irmão Jason começam a modificar-se, ela percebe que ele está prestes a transformar-se numa pantera pela primeira vez - uma transformação mais rápida e intuitiva do que a maioria dos metamorfos que ela conhece.


Mas a preocupação de Sookie torna-se mais intensa e assustadora quando um atirador furtivo aponta a mira para os metamorfos locais, e os novos "irmãos" felinos de Jason começam a suspeitar que ele pode estar por trás dessa mira. Sookie tem até à próxima lua cheia para descobrir quem está envolvido nestes ataques... a menos que o atirador decida encontrá-la primeiro...
 
 
 
OPINIÃO: Quem é que anda a tentar matar os metamorfos? Quem se esconde nos arbustos de mira voltada para os "menos humanos"? Quem é realmente o desconhecido bartender vampiro pirata? Será que Jason vais ser acusado e consequentemente aniquilado pelos da sua (nova) espécie? Quem incendiou a casa de Sookie?


É a vantagem de ler os livros de Charlaine Harris, nunca temos uma só pergunta por responder. A autora mistura de uma forma tão intrínseca a fantasia com o policial que é impossível não ficar rendida à sua obra.

Cada vez mais as personagens se interligam e cada vez mais nos sentimos com dificuldade em tomar partidos no que toca à revigorante vida amorosa da personagem principal. No meu caso, sou fiel ao Eric(eheh) mas confesso que os outros pretendentes têm o seu lado charmoso difícil de resistir.

Quanto à escrita, noto que evoluiu em relação aos primeiros 2 livros. Harris está mais à vontade com as personagens e visto que elas crescem de volume para volume, os diálogos tornam-se cada vez mais adultos e sempre carregados de humor.

É uma perspectiva diferente do mundo, bastante fantasiosa e por vezes negra mas deliciosa e viciante...

Profundamente rendida à simplicidade e à imaginação de Charlaine Harris.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo do blogue