Pesquisar neste blogue

terça-feira, 6 de março de 2012

Ghostgirl - Tonya Hurley

Sinopse: Às vezes o liceu é mesmo uma questão de vida ou morte. Charlotte Usher sente-se praticamente invisível na escola, até que um dia fica mesmo. Pior ainda: está morta! E tudo por causa de um ursinho de goma. Contudo a morte de Charlotte não a impede de seguir o seu plano, muito pelo contrário, sente-se muito mais criativa e fará qualquer coisa para conseguir o seu objectivo: ser popular para seduzir o rapaz que ama ! www.ghostgirl.com 


Neste romance satírico mas sentido, Tonya Hurley explora a invisibilidade que todos nós, por vezes, sentimos e até onde vamos para sermos vistos.

Opinião: "Ghostgirl" é um livro divertido. Não há melhor adjetivo para o caracterizar.
o ambiente onde a ação se desenrola não podia ser mais comum, contudo encontra-se aqui um certo hiperbolismo nos habituais cenários escolares, seja nas atitudes das personagens, seja no espaço.
Charlotte é aquela rapariga impopular. Há dois tipos de impopularidade, a detestada pelos demais e a que ninguém conhece, pois, Charlotte é a que ninguém conhece, ninguém parece ver, ninguém se lembra do nome, ninguém repara que ela morre!
A forma como a protagonista morre é de meter dó, ela morre literalmente engasgada com um urso de goma! E o mais engraçado é o contexto em que tal acontece.
A vida depois da morte é um espelho do nosso mas com os amigos do "Casper" em sintonia para aprenderem a morrer(?) Sim, a Charlotte é obrigada a frequentar uma outra escola onde lhe ensinam as capacidades fundamentais de um fantasma.
Dentro deste enredo que abraça a história principal, surge Scarlet, aquela que a vê, e Damen, aquele que Charlotte ama. Petunia e as Wendys que fazem a vida/morte negra a Charlotte e a relutância da pobre rapariga em assumir a sua nova forma de vida/morte.
É um livro juvenil com imensa imaginação. Lê-se com muitíssima facilidade e é ideal para quem procura leituras breves e leves.

1 comentário:

  1. Eu já li e gostei :) não é nada por aí além, mas tal como dizes, serve para divertir o leitor.

    ResponderEliminar

Arquivo do blogue