Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Iniciação - Jennifer Armintrout

SINOPSE: Eu não sou cobarde. Quero deixar isso bem claro. Mas, depois de a minha vida se trans­formar num filme de terror, passei a levar o medo muito mais a sério. Tinha-​me tor­nado na Dra. Carrie Ames apenas há oito meses, quando fui atacada na morgue do hospital por um vampiro.


Haja sorte. Por isso agora sou uma vampira e descobri que tenho um laço de sangue com o monstro que me criou. Este funciona como uma trela invisível, pelo que estou ligada a ele, inde­pendentemente daquilo que faça. E, claro, ele tinha de ser um dos vampiros mais malévolos à face da Terra. Com o meu Amo decidido a transformar-​me numa assassina sem escrúpulos e o seu maior inimigo empenhado em exterminar-​me, as coisas não podiam ser piores – só que me sinto atraída pelos dois. Beber sangue, viver como um demónio imor­tal e ser um peão entre duas facções de vampiros não é exactamente o que tinha imaginado para o meu futuro. Mas, como o meu pai costu­mava dizer, a única forma de ven cer o medo é enfrentá-​lo. E é isso que irei fazer. Com as garras de fora.
 
OPINIÃO: Para aqueles que estão cansados de histórias de vampiros adolescentes que se apaixonam loucamente por uma humana e têm de viver com essa paixão contida, desenganem-se, "Iniciação" NÃO É SÓ MAIS UMA HISTÓRIA DE VAMPIROS.
Carrie não é uma jovem indefesa que se envolve voluntariamente num submundo hostil de criaturas sobrenaturais, mas sim uma adulta com vida própria, médica de profissão que acaba acidentalmente no estado de transformação de humano para algo demoníaco.
Cyrus, o vampiro que ao tentar matá-la acabou por transformá-la, é sem dúvida uma personagem peculiar e com um nível de malvadez bastante elevado. O antigo vampiro impiedoso, tradicional, possessivo e louco (a lembrar um pouco o cavalheiresco Drácula) é trazido de volta à literatura vampirica por Armintrout.
Em contrapartida, e como agora nenhuma história funciona bem sem um triângulo, temos Nathan. Este é a complexidade, o mistério e a falsa moralidade. Vive com um jovem punk que faz as delícias no lado cómico do livro.
O enredo em si é profundamente cativante e envolvente. A pressão que Carrie sente pelo seu progenitor causa do laço de sangue é sufocante. A paixão desenfreada que esta ligação provoca e o lado humano que Carrie quer a todo custo manter são os processos pelo qual ela luta durante a obra. A amizade e atracção que nutre por Nathan, o carinho e a sensação de familiaridade que Zee lhe traz são mais alguns dos ingredientes que constituem este fantástico livro.
Adorei e aconselho vivamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo do blogue