Próximos

Andreia's to-read book montage

O Principezinho
O Despertar das Trevas
A Breve Segunda Vida de Bree Tanner
Paris, 1850
México, 1850 (O Crepúsculo dos Vampiros, #3)
A Praga
O Assassinato de Roger Ackroyd
O Beijo das Sombras
Sangue de Anjo
Damon, Almas Sombrias
Crescendo
Paranormalidade
Orgulho e Preconceito
Queimada
Senhores da Noite
Reunião Sangrenta
O Décimo Terceiro Poder
O Abismo
O Vampiro
Bruxa e Detetive


Andreia's favorite books »
}

Pesquisar neste blogue

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

As Dez figuras Negras - Agatha Christie


Sinopse: Dez desconhecidos, que aparentemente nada têm em comum, são atraídos pelo enigmático U. N. Owen a uma mansão situada numa ilha da costa de Devon. Durante o jantar, a voz do anfitrião invisível acusa cada um dos convidados de esconder um segredo terrível, e nessa mesma noite um deles é assassinado.

A tensão aumenta à medida que os sobreviventes se apercebem de que não só o assassino está entre eles como se prepara para ir atacando uma e outra vez…
O que se segue é uma obra-prima de terror. À medida que cada um dos hóspedes é brutalmente assassinado, as suas mortes vão sendo “celebradas” através do desaparecimento de uma de dez estátuas, as “dez figuras negras”.
Restará alguém para um dia contar o que de facto se passou naquela ilha?

Em As Dez Figuras Negras, a Ilha do Negro, local sombrio e desde sempre povoado de mistérios, é palco de uma estranha e implacável forma de justiça, na qual as vítimas se encontram encurraladas pelas circunstâncias e o agressor é invisível e omnipresente.



Opinião: "As Dez figuras Negras" é um livro da autoria da grandiosa mestre do crime, Agatha Christie.
Este livro diverge bastante dos restantes, pois centra-se mais na base do terror/suspense do que os usuais criminais.
A narrativa inicia-se num convite proposto a um conjunto de pessoas para passar o verão numa ilha. Lá dão de caras com a morte no formato de uma lengalenga infantil, porém bastante mórbida.
Esta história tem a particularidade de reter o leitor até ao final completamente às cegas. A autora proporciona uma linguagem fluída que se adequa plenamente à acção.
É impossível prever o final, característica esta muito própria da famosa escritora, que nunca deixa o leitor adivinhar o desfecho.
Oclima envolvente é soturno e profundamente stressante, combinando com o enredo proposto. As palavras são muito bem escolhidas, chegando a chocar nas descrições mais sanguinárias.
É um livro fantástico, que aconselho vivamente a qualquer amante seja de policiais ou de terror.
Não consigo deixar de notar uma semelhança imensa desta história com outras apostas televisivas e cinematográficas. Nomeadamente a série "Harper's Island" e o mundialmente mediático "Saw".

Sem comentários:

Enviar um comentário

Arquivo do blogue